sexta-feira, 23 de março de 2012

A Gravidade do Amor

    Duas galáxias distantes, viajando pelo universo, se encontram, por "acaso", e acabam formando uma interseção, onde dois planetas, de origens distantes e funcionamentos diferentes, acabam passando perto um do outro.

    Cada planeta entra na área de ação da gravidade do outro e, dessa forma, são atraídos.

    Cada vez mais, vão se aproximando, até que entram em órbita. Um gira em torno do outro, e o outro gira em torno do um. Vão assim, girando e girando, enquanto as galáxias continuam próximas.

    Até o momento em que a atração é tão forte que os dois planetas se fundem e se tornam apenas um, maior que os dois originais.

    Quanto às galáxias, podem, por causa desses dois planetas, se tornar apenas uma. Ou o novo planeta pode ficar em uma delas, talvez. Ou, quem sabe, ele se solta das duas e cria uma nova?

    Mas isso não é o importante. O que faz tudo valer é que o novo planeta nunca mais volta a ser dois. Aqueles dois que se uniram, nunca mais se separam.

2 comentários:

Thalita Clemente disse...

Que lindo!!! *-*

Fabio Faith disse...

Excelente =]
Muito bom textoO